Arquivo da categoria: carreira

Dica rápida da semana

essa semana eu “tô que tô”… férias chegando e eu querendo resolver tudo antes delas chegarem…

daí que na mesma semana eu estou finalizando todas as pendências do trabalho, revisando as metas do ano (pessoais e profissionais), fazendo o planejamento das férias (isso vai render post), tentando organizar a rotina (isso também rende outro post, essa coisa de querer acordar cedo ainda não está rolando como eu imaginava) e de repente surgem 5.000 trabalhos freela pra fazer e minha ganância força de vontade não me deixa falar não pra nenhum deles.

mas, uma coisa que resolvi é que não quero mais abandonar o blog, por isso dei uma passada agora só pra deixar uma dica rápida que está super funcionando pra mim.

quando está tudo acontecendo ao mesmo tempo agora não rola tempo pra estudar. pelo menos pra mim isso sempre vai pro final da lista. além disso, no geral gosto de aproveitar o máximo do meu tempo e não vejo muito sentido em dedicar toda a minha concentração e esforço mental na tarefa de varrer a casa e lavar a louça, por exemplo.

por isso, uma coisa que tenho feito já faz um tempo e achei que vale a pena é: me inscrevi em alguns canais do youtube que tem conteúdos que me interessam, em português (porque meu inglês é terrível e sem legenda não entendo 30% do que é falado) e, enquanto estou limpando a casa, fazendo janta etc. abro o youtube (uso o youtube para android nessas horas)  e o app já me indica as novidades dos canais que eu mais vejo e, pelos vídeos que acessei das últimas vezes, tem até vídeos de canais que eu não assinei com conteúdos semelhantes. daí deixo lá rolando e vou ouvindo enquanto vou fazendo minhas coisas, carrego o celular pra lá e pra cá.

também tenho procurado podcasts com assuntos que quero aprender e deixo separados justamente  para aproveitar esses momentos de puro trabalho braçal hehehe

na semana que vem estarei mais tranquila e quero escrever um post pra indicar os canais que eu tenho mais visto e alguns podcasts também

Beijos e até mais!

Anúncios

Desafio: Organizando a mesa de trabalho

Meu sonho na vida é ser uma pessoa organizada.

E eu sou… só que não. Quer dizer, em alguns aspectos sou bem organizada, mas quando se trata do espaço físico… se eu não cuido, vira o caos…

Bom, daí que sempre estou organizando alguma coisa na minha casa ou no trabalho para conseguir seguir a vida sem me perder em meio à bagunça.

Neste mês, estou com o desafio de organizar, de uma vez por todas minha mesa de trabalho (ok, já vou avisar que é esse mês, mas talvez só termine depois das férias de dezembro, porque né? o trabalho não pára porque a bonita tá com a mesa bagunçada).

Já fiz um destralhamento, mas ainda preciso mandar coisas embora, arquivar outras e delegar ainda outras… desde que entrei no meu emprego, como estagiária, há 7 anos, tenho muitas coisas para ler e projetos para encaminhar e algumas coisas fui acumulando nesse tempinho. Tenho o agravante que meu espaço de trabalho é minúsculo, vocês verão nas fotos (ou é drama, rs).

Então, hoje depois do “minidestralhamento”, minha mesa de trabalho está assim:

20131107_181133

Em cima da mesa: uma pasta que deverá servir como Caixa de Entrada (mas ainda não tá rolando e todos os papeis que recebi estão em cima dela), um muralzinho para lembretes e fotinhas (não tem fotinhas pq tirei todas as fotos grandes e preciso revelar umas 3X4 mais discretinhas), um calendário (que talvez em 2014 eu nem use mais, porque tenho calendário no celular, no tablet e no computador, pra que mais um que fica ocupando espaço precioso), meu monitor, teclado e mouse, copo de água, furador de papel (fiel companheiro neste momento de organizar os papeis), copo para água, caneca de guardar canetas, caixinha para clips, porta papelinho de recados, telefone e estabilizador, que deverá sair daí também, assim que eu tirar as pastas que estão em cima da CPU (pode colocar o estabilizador em cima da CPU?) – ps: a foto tá tosca pq não queria pegar a mesa do lado…

20131107_181113

Em cima do CPU as pastas com pendências para resolver, arquivar ou digitalizar e jogar fora.

20131107_181158

Em frente à CPU, onde deveria estar minha mochila, está uma caixa box com livros/revistas/publicações em geral que preciso ler e encaminhar para a biblioteca da área ou encaminhar.

20131107_181205

E também preciso liberar mais espaço nas gavetas, que têm:

1ª gaveta: cadernos e blocos para anotações, papéis de rascunho, sacolas e saquinhos para guardar papeis

20131107_181302

2ª gaveta: coisas sem defnição, mas aí vou colocar os poucos papeis que pretendo guardar referente a cada projeto que estou trabalhando

20131107_181317

3ª gaveta: kit de sobrevivência na selva no trabalho: good snacks para não me entupir de chocolate no momento de stress, balas para quando a necessidade de áçucar vence, desodorante, spray pra arrumar o cabelo, chá, bonequinho do Smurff, hidratante, batom, escova de dentes etc.

20131107_181334

Além disso, tenho mais umas 3 caixas box de coisas arquivadas. Grande parte pretendo digitalizar e descartar, mas isso em outro momento que provavelmente será em janeiro/fevereiro do ano que vem. As caixas estão em um armário numa sala de apoio ao lado da minha.

Pretendo ir organizando nestas etapas:

1. Destralhar: já fiz isso, mas quero dar uma segunda olhada e ver se consigo me desapegar de outras coisas que estão lá sem necessidade.

2. Digitalizar arquivos: baixei um scanner no tablet e pretendo digitalizar 2 a 3 arquivos por dia. É rápido e me ajuda a finalizar essa parte com rapidez.

3. Itens de ação: pode ser até paralela à segunda etapa. O que demanda ação, quero encaminhar rapidamente e criar uma pasta física também como To do list.

4. Sistema de arquivo confiável: quando ver o que sobra para arquivar, quero criar um sistema confiável de arquivo e que seja intuitivo para o dia em que eu sair da minha empresa seja fácil explicar para outras pessoas o que está disponível ali.

5. A partir disso, criar um sistema de fluxo dos documentos que recebo em papel (os arquivos digitais estão ok) para não acumular mais e resolver as coisas de forma mais rápida.

Pretendo ir contando como estão as coisas aqui, conforme avanço na organização.

Todas as sugestões são bem vindas.

Autoconhecimento para crescer na carreira

Olá pessoal,

tudo bem?!!
Hoje o post é para dividir com vocês uma descoberta.
Na minha opinião, uma das coisas que mais importam para alcançar nossos objetivos profissionais é ter autoconhecimento. Conhecer a si mesmo vai ajudar você a fazer escolhas melhores e trilhar por aí o caminho para se realizar na carreira.
Eu sou uma pessoa muito introspectiva e desde sempre gosto de fazer testes, refletir sobre o motivo das minhas escolhas e como eu reajo diante das situações. Busco me conhecer melhor e fazer escolhas profissionais e pessoais que sejam coerentes com a pessoa que sou e com a pessoa que quero me tornar.
Uma ferramenta que tem me ajudado muito é o site JobCoach. Segundo o próprio site:
“O JobCoach é uma Plataforma de Desenvolvimento Profissional baseada em Competências que permitirá que você identifique os seus pontos fortes como profissional e possa fazer melhor uso deles.”
Fiz todo o processo de avaliação de competências (mais uma dica: na avaliação 360º procure convidar pessoas que se relacionam profissionalmente com você de diversas formas e em níveis hierárquicos diferentes) e depois, por participar de uma pesquisa sobre a Geração Y,  ganhei de cortesia o relatório de alinhamento profissional (um serviço que é pago no site).
As duas ferramentas foram muito úteis para mim. Além disso, indiquei o site para várias pessoas e todas gostaram muito.
Vi também que é possível refazer a avaliação. Pretendo fazer anualmente porque me ajuda a verificar se melhorei em alguns aspectos que quero desenvolver.
Gente, isto não é um publieditorial. Gostei e resolvi compartilhar!
Se alguém fizer a avaliação, me conta o que achou!

A escolha da pós graduação

Estou terminando em novembro minha pós graduação. Cursei especialização em educação corporativa. Gostei muito do curso e o investimento valeu a pena. Gostaria de contar um pouco pra vocês como foi minha escolha.

Sei que já não é fácil escolher qual graduação fazer. Eu particularmente tive sorte: com 17 anos decidi que ia prestar o vestibular para pedagogia, prestei em duas universidades públicas e passei no “susto”. Entrei no curso sem saber ao certo se era realmente o que eu queria, mas ao longo do tempo descobri que era uma ótima escolha e realmente gosto do que faço.
Talvez se não tivesse feito estágio onde trabalho hoje e tivesse ido trabalhar em escola ou ONG não gostaria tanto, mas minha vida profissional sempre tomou rumos muito interessantes desde 2004 (quando entrei na faculdade).
Agora, pra escolher a pós achei um pouco mais complicado. Primeiro que eu não sabia ao certo quando deveria fazer a pós. Eu me formei em julho de 2008 e já com emprego fixo (concurso público), recebendo convites para fazer outros projetos fora do trabalho… enfim eu já sabia o que queria fazer da minha vida profissional, mas não me sentia madura o suficiente para entrar na pós. Então em 2011, 3 anos após me formar, decidi que era a hora. Já estava pesquisando há mais ou menos um ano qual seria o curso mais interessante para mim.
Então, procurei cursos das áreas de educação e gestão de pessoas, em inúmeras instituições. Optei pela que cursei pelos seguintes motivos:
1. Tinha o curso que mais atendia às minhas necessidades e área em que quero atuar. Hoje para nós, pedagog@s, o mercado está se ampliando muito. Por isso queria uma especialização que me mostrasse uma parte do mercado que me interessa muito mas que eu conhecia pouco: as corporações. Gostei muito dos conteúdos propostos para o curso.
2. Era uma instituição séria e bem reconhecida no mercado. nem preciso falar que um bom nome faz muita diferença em seu currículo.
3. Era próximo do trabalho: ok, preguiça na hora de escolher um curso que você vai ralar pra pagar não é muito inteligente, mas se eu podia ter um curso legal, em uma instituição séria e perto do meu trabalho, não tinha como descartar esse fator em comparação com outros cursos. Menos tempo de deslocamento significaria mais tempo pra estudar e me dedicar a outras áreas importantes da minha vida. Sempre penso nisso.
4. O preço era ótimo. Na verdade depois percebi que não era muito diferente dos preços praticados por outras instituições, mas eles dividiam em inúmeras parcelas… 🙂
Os pontos positivos do curso foram: bons professores, na maior parte das vezes. em todos os módulos aprendi muitas coisas novas e, o mais importante, consegui colocar várias coisas em prática nos meus trabalhos.
Os pontos negativos: por ser um curso novo, a turma tinha interesses muito diversos – ao mesmo tempo que isso é ótimo por permitir a diversidade de olhares, acho que às vezes atrapalhou um pouco nos trabalhos em grupo (escolhas do tema, por exemplo), achei a instituição um pouco desorganizada
Agora penso em fazer outra pós ou prestar o mestrado ano que vem…
Alguém tem uma dica aí?

Você é bem sucedida?

Você se considera uma pessoa bem sucedida?

Muitas vezes, baseamos nossas escolhas profissionais em padrões de sucesso que não têm nada a ver com aquilo que realmente queremos e precisamos.

Eu mesma tinha essa mania de comparar o momento de carreira em que eu estava com o de outras pessoas da mesma idade e formação, mas percebi que esse não é o parâmetro correto.

É claro que é bom saber como está o mercado e quais as oportunidades que ele oferece. Sou pedagoga e minha área de atuação (como acontece em várias outras) tem se expandido para contextos que há poucos anos ninguém ia imaginar. Mas, hoje procuro avaliar minha carreira com base em meus valores pessoais e em quanto ela está alinhada à minha missão (vou escrever em breve um post sobre isso, mas para saber minha missão tenho que responder às perguntas: que tipo de pessoa quero ser? o que quero ter realizado? Como quero ser lembrada pelas pessoas com quem convivi?).

Por isso, avalio minhas escolhas passadas e minhas atuais oportunidades de outra maneira e posso dizer que sim, sou bem sucedida: trabalho em algo que gosto e para uma causa em que realmente acredito. Apesar de não ter condições de trabalho perfeitas, tenho conquistado meu espaço a cada dia. Meu trabalho está em harmonia com meu planejamento de vida e, apesar de em alguns momentos ser exaustivo, no geral ainda consigo me dedicar também a outros projetos profissionais que gosto de desenvolver.

E você, avaliando seu momento profissional, se considera uma pessoa bem sucedida? Se não,  pensa em fazer algo a respeito?