O GTD no dia a dia

E chegamos no último post da série, que demorou mas saiu né?

Já estou super íntima de David Allen (SQN) de tanto que consultei o livro. Espero que essa série realmente tenha ajudado vocês!
Na verdade minhas explicações sobre o GTD terminaram nesta manhã ensolarada de domingo (se não tiver sol, a culpa é do Google que mentiu pra mim na previsão do tempo), minha ideia com esse post é contar como eu aplico o GTD na prática… só pra constar: eu ainda dou vários tropeços viu? Mas sinto que hoje estou mais produtiva do que nunca!
Bom, o que eu faço todos os dias:
 
Antes de qualquer coisa, eu sigo minha lista de revisão diária, priorizando a agenda e o tickler e esvazio as minhas caixas de entrada (sempre que possível, ainda estou otimizando minha caixa de entrada do Hotmail) umas duas vezes por dia, cada. Realizo minhas atividades agendadas e compareço aos compromissos (no meu caso, na maioria das vezes são reuniões e palestras/cursos que ministro ou participo, mas pode ser até um jantar na casa dos amigos. costumo colocar TUDO na agenda senão esqueço). Daí também aparecem as atividades que demandam urgência e têm que ser executadas imediatamente. No meu trabalho isso é comum de acontecer, mas tenho administrado bem isso e está diminuindo bastante.
As tarefas processadas estão no Evernote, então vou apenas olhando as listas por: contexto, tempo disponível e prioridade e já vou realizando as tarefas. Quando estou muito cansada, daí incluo a avaliação de Energia. Como faço pelo Evernote, vou selecionando as tags.
 Em casa, eu sigo basicamente a rotina que coloco na agenda do Google (eu tentava usar um registro e controle de tarefas recorrentes, mas pra mim não funcionou) e procuro realizar as tarefas que estão no contexto casa.
Daí toda sexta-feira a tarde ou sábado de manhã realizo minha revisão semanal.
As outras revisões ainda não faço com muita frequência não, pra falar a verdade!
Além disso, eu procuro pelo menos uma vez por mês dar uma repensada no meu sistema e ler um pouco mais sobre o assunto. Eu acredito que faço isso porque ainda estou me adaptando. A ideia é ir pensando cada vez menos nisso.
Bom, é isso pessoal.
Essas são minhas dicas finais:
  • Coloque em prática o que eu sugeri nos posts anteriores, estude, procure outras fontes e encontre um tempo pra ler o livro. Mesmo que você não achou o método tão legal, leia, porque pode te dar outra visão e mesmo que você não use o sistema completo, pode ter algumas dicas de organização que irão te ajudar.
  • Pra conseguir ler o livro, eu criei um projeto. Fica como sugestão!
  • Se você tiver tempo/dinheiro e quiser se aprofundar mais com acompanhamento, existem cursos disponíveis. Eu não fiz, por enquanto, mas penso em fazer um dia.
  • Não se preocupe demais com ferramentas, isso toma muito tempo. Na dúvida, use papel e caneta.
  • Não fique trocando de ferramentas. Além do tempo que se perde, informações podem ser perdidas na transição.
  • Esse não é um guia, é a minha visão sobre o método. Quero muito que você aproveite minha experiência, mas encontre sua própria forma de usá-lo
Essa semana espero voltar com os temas de sempre. (mas não com os sumiços tá?!!!)
Até mais pessoal!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s